Voltar atrás

Porque temos perdas de urina?

Monday, 02 Mar 2020

As perdas involuntárias de urina são extremamente comuns. No entanto, mesmo as mais pequenas perdas têm implicações na qualidade de vida, que condiciona o dia a dia em todos os aspetos - pessoal, familiar, social e laboral. Este problema pode conduzir a uma fuga do contacto social e ao isolamento, porque está sempre presente o medo e a vergonha de que os outros vejam as perdas e sintam o cheiro. Pode afetar também a relação conjugal, uma vez que a intimidade do casal é prejudicada.

A incontinência urinária, sobretudo na mulher, é também um grave problema cultural. Como a mãe e a avó também sofreram da mesma doença, assume-se a incontinência urinária como normal ou algo natural, uma situação a suportar. Assim, a mulher vai protelando a solução e tenta adaptar o seu dia-a-dia, até ao ponto em que começa a estar completamente condicionada por esta situação.

 

Existem 3 tipos principais de incontinência urinária: de esforço, de urgência e mista.

  • Incontinência de esforço – Traduz-se em pequenas perdas de urina que acontecem quando a pessoa se ri, tosse, espirra, faz exercício, ou pega em algo pesado. Acontece quando os músculos do pavimento pélvico estão enfraquecidos e existe uma pressão exercida sobre a bexiga.

  • Incontinência por urgência – Acontece repentinamente, acompanhada de uma vontade súbita e intensa de ir à casa de banho. A bexiga apresenta súbitas contrações, causando urgência em urinar. Este tipo de incontinência urinária é uma situação dramática porque condiciona o dia-a-dia das pessoas que sofrem desta patologia, uma vez que definem a sua vida de acordo com a existência de casas de banho nas proximidades.

  • Incontinência mista combinação da incontinência de esforço com a incontinência de urgência.

 

A incontinência urinária não é uma situação permanente e não deve ser tratada como normal ou suportável.

 

Fazer caminhadas, ir ao ginásio, a preocupação é cada vez maior com a saúde e com a qualidade de vida. As mulheres mantêm-se ativas e fortalecem os músculos do corpo. Mas.. e os músculos do pavimento pélvico? Esses músculos tão importantes que, para além de equilibrarem a coluna vertebral, promovendo uma postura correta, ainda sustentam os órgãos e ajudam a controlar os esfíncteres.

O grande desafio, ao quebrar o tabu é apostar na prevenção. Como qualquer outro grupo muscular, se não for fortalecido, acaba, mais tarde ou mas cedo por ir perdendo a força e a capacidade de realizar a função.

Desta forma, é extremamente importante começar a fortalecer estes músculos antes ou logo após o aparecimento dos primeiros sintomas: perder uma gota de urina quando se tosse ou quando se salta à corda é, normalmente o primeiro sinal de que precisamos de começar a fortalecer os nossos músculos. Nestes casos o tratamento é muito rápido e eficaz, mantém a musculatura forte e saudável e evita que, mais tarde ou mais cedo, comecem a surgir problemas que vão, inevitavelmente, agravar-se com a idade.

A própria atividade física pode provocar incontinência urinária. Esta é uma verdade que pode parecer contraditória uma vez que, a atividade física tanto pode contribuir para fortalecer os músculos do pavimento pélvico (quando os exercícios são direcionados para este grupo muscular) - e é esta a melhor forma de os manter saudáveis e fortes - como também os pode sobrecarregar, estirar e enfraquecer, no caso das atividades físicas de alto impacto, independentemente da modalidade desportiva.

A Clinague tem um programa específico para reabilitar e fortalecer os músculos do períneo para que estes voltem a ser capazes de realizar todas as suas funções.

A incontinência urinária pode ser tratada através de um programa de reabilitação realizado por um fisioterapeuta especializado, com o objetivo de melhorar a consciência e eficácia da musculatura pélvica, através de exercícios específicos de fortalecimento muscular, biofeedback e eletroestimulação. São tratamentos indolores e pouco invasivos.

Neste momento, a Clinague também apresenta uma forma inovadora e não invasiva do tratamento das perdas de urina.

Na nossa nova cadeira de tratamentos, a pessoa está confortavelmente sentada e completamente vestida. O tratamento não é doloroso e dura cerca de 30 minutos.

Esta nova Tecnologia Eletromagnética Focada de Alta Intensidade provoca a estimulação muscular profunda do pavimento pélvico.

A chave para a eficácia deste tratamento é baseada na energia eletromagnética focalizada e na estimulação de todo o pavimento pélvico.

Uma única sessão faz milhares de contrações musculares supra-maximais em todo o pavimento pélvico, contrações essas que são extremamente importantes na reeducação e fortalecimento muscular de pacientes incontinentes.

Cuide de si e do seu períneo!